terça-feira, 4 de novembro de 2008

Mais de um ano de vida!

Hoje me dei conta de que faz mais de um ano que criei esse blog! Iupiii!

Por isso, me dei de presente (hehe) uma postagem antiga.
Um texto que gosto muito! :)

Espero que gostem!

_________________________________


Ao som de Frejat, "Amor pra recomeçar", ela se desespera. A escuridão apenas esconde o que qualquer um pode ver. As lágrimas escorrem do seu rosto. Se pudesse abrir a porta do túnel escuro onde se encontrava e toda a angústia e arrependimento que lhe apertavam o peito sumisse como um pedaço de algodão doce na boca. A cada gota sua respiração abafada e soluçante se tornava mais úmida. Nada era suficiente para que tirasse o ódio imergido na secura de seus anos mal vividos. O fim foi inevitável.

Afinal, precisava de alguém que a tratasse bem, que estivesse lá por ela; que ela ligasse e ele atendesse; que ela chamasse para sair e não a deixasse esperando; que fizesse surpresas em dias normais e que em dias fora do comum também soubesse como agradá-la, que quisesse viver ao seu lado, inteiramente ao seu lado. Agora o arrependimento também crescia, acompanhado pela dúvida de que talvez não vá encontrar outro amigo, namorado, companheiro, amante, de uma única vez. Assim, como ele foi e podia ainda ser. Não, não. Não podia voltar atrás, tudo foi com um big shoot certeiro no âmago de sua existência. O rádio tocava: "acabou, boa sorte!"

Caminhando por entre os postes, que agora tentavam iluminar a sua alma há muito tempo mal iluminada e completamente sem vida, avistou um pequeno senhor sentado e dormindo nas frias pedras daquele local. Lembrou: "Eu dormi na praça, pensando nela...".

Não sabia onde estava, nem importava, apenas caminhava, caminhava no mesmo ritmo que havia começado, mas a dor que agora lhe martelava a mente se tornara muito maior. Resolveu que continuaria a caminhar até que alguma coisa interceptasse seu caminho, ou que decidisse acabar de vez com a sua insignificante presença nesse mundo. Ao fundo: "É o amor! Que mexe com a minha cabeça...”.

Num momento sem qualquer significado, aquela mulher-menina (quando falamos de amor, toda mulher se torna menina) se deu conta que estava fugindo de tudo aquilo que jurou por toda vida não fazer. Fugindo do que sua mãe havia deixado de mais puro em seu coração: o amor. Lembrou que a felicidade muitas vezes (acho que muitos concordam que sempre) prefere não ir pelo atalho, prefere seguir a trilha com obstáculos, e quando alcançada atinja seu ápice, e que simplesmente ninguém consiga controlá-la. Que o domínio seja completo e que nesse período você seja o ser em posição mais elevada, não nas nuvens, apenas acima da Terra. Cantarolou: "Você bem que podia perdoar! E só mais uma vez me aceitar...”.

Muitas vezes (e quem me conhece sabe que é verdade) fico com uma bendita música na cabeça o dia t.o.d.o. Me lembro do "Show de Truman". Ainda tenho dúvidas se nossa vida num é um filme diário. São situações tristes, alegres, cômicas, sérias, descontraídas, constrangedoras. Quantas vezes já imaginou que no pior momento virá um cara e dirá: Corta! E melhor ainda: na hora do término do namoro, na hora que reencontramos velhos amigos, na hora que acordamos... ao fundo aquela canção que te faz sorrir ou te ajuda a chorar!

Quando vamos parar e escolher a trilha sonora das nossas vidas, das ocasiões simples e marcantes!??!

3 comentários:

clau disse...

Ação!...rs
Ai(suspiro),belo texto.
Minha trilha sonora do momento:
"Lá fora a chuva desaba e aqui no meu rosto
Cinzas de agosto e na mesa o vinho derramado
Tanto orgulho que não meço
O remorso das palavras que não digo".
Parabéns pelo aniversário =)

Bru disse...

Obrigada!!

Bela trilha!! =)

Bjs

Biia disse...

Bruu que texto lindooo!

penso que para cada minuto ou hora uma nova musica pode ser tocada...agora seria
"I'm broke but I'm happy
I'm poor but I'm kind
I'm short but I'm healthy, yeah
I'm high but I'm grounded
I'm sane but I'm overwhelmed
I'm lost but I'm hopeful baby..."
rs
bjs maninha ;*