quinta-feira, 20 de setembro de 2007

não existem apenas inquietas mentes...

Quem ja ouviu falar sobre a SINDROME DAS PERNAS INQUIETAS?
Descobri isso quando o tão utilizado Google resolveu distorcer as buscas... e ai já viu...
Achei interessante e de repente poucas pessoas saibam que sofrem desse mal!
SÍNDROME DAS PERNAS INQUIETAS (RLS)
O QUE É?
Uma irresistível necessidade de movimentar os membros inferiores, acompanhada de sensações de arrastamento das pernas. Estes sintomas causam grande dificuldade para os indivíduos acometidos por essa síndrome, já que esses movimentos de perna causam despertares, resultando assim na redução no período de sono (MONTPLAISIR et al., 1994).

Ai me vem aqueles pensamentos sem explicações... penso nos idosos...
Na terça, qdo estava começando a ficar sonolenta indo embora no tão bom Transporte Público de São Paulo, uma senhorinha de uns 70 anos sentou ao meu lado e não se importou se eu estava disposta e "acordada" para conversar, desatou a falar e falar...
Me ocupou os trinta minutos restantes da viagem... mas fiquei com vontade de levá-la para casa...
Ela começou a falar sobre a bondade das pessoas na rua, mas não demorou para mudar de assunto e falar sobre suas filhas e a ingratidão por parte delas... Contou brevemente sobre o derrame que teve há 11 anos e sobre o marido que havia perdido... cancêr...
e isso era o que mais doía e as lágrimas vinham facilmente, mas nao estava preocupada em segurá-las... ela ao mesmo tempo que parecia nao ter significado nada para ninguem - alem de seu marido que ate os 60 anos insistia em namorá-la! - parecia satisfeita por ter sido alguem apenas para ele...

E ai volto a pensar... amor que sobrevive por anos e anos... será que se pode entrar nessa fila?

* nao tente nem procurar a linha de raciocínio...!

6 comentários:

Fourier disse...

Se tentar procurar a linha de racíocini ngm acharia.

Mas foi um belo relato.

Sofre das síndromes das pernas.

Sobre a questão do amor eterno...eu acredito...só basta procurar....

Dan! disse...

Bom, após o aviso sobre não tentar encontrar uma linha de raciocínio, não vou nem perguntar como vc foi da Síndrome escondida no Google para a velhinha que perdeu o marido...mas, de qualquer forma, ficou muito,digamos, literário, o trecho em que você fala da dita cuja.Gostei.
Beijo

Dan! disse...

Vc me deixou com vontade de escrever...qdo eu mandar aqueles médicos para a pqp, vou colocar minha idéias no mundo virtual, será??

Bru disse...

sim sim!!

Faça!! eu vou adorar!!

dou risada sempre que conversamos...lendo acho que tbm seria uma boa! rs

Beijoss!

Cristiano disse...

Isso sim é uma mente inquieta!!!

Mas o amor bom não é aquele que dura muito tempo, mas sim aquele que é intenso dure o quanto durar.

Sorte da velhinha da história, que pelo jeito manteve a intensidade até o amado abotoar o casaco.

Bru disse...

mas que seja intenso e dure por muito tempo, ai fica mais melhor de bom! rs